10/04/2004

Momentos Danilo

Alguns amigos, e até mesmo pessoas estranhas, após lerem o meu post anterior (que eu transformei nesse post agora) mandaram por emails, ou me incomodaram no MSN para que eu postasse mais daquilo que meus conhecidos chamam de "Momentos Danilo". Pois bem, segue abaixo todos que eu me lembrei. Se não tiverem saco não leiam. Eu mesmo não li. Só escrevi.


Só queria ser atendido (Out/2004)

A 2 anos eu pago plano ortodôntico sem atrasar um mês sequer.

Devido a minha mudança de endereço, não recebi o boleto em casa e acabei esquecendo de pagar esse mês. Hoje foi minha consulta de rotina, e assim a merda toda começou:

- Sr. Danilo (claro, todo mundo que paga alguma coisa é senhor!), eu vou te encaminhar a secretária do consultório para eles autorizarem o sr. a passar por consulta hoje, visto que não foi pago o boleto desse mês ainda.
- Ok. Sem problemas. Onde é isso.
- No fundo do corredor e tal.

- Eu vim aqui pra vocês me autorizarem a ser atendido hoje.
- Hum...deixa eu ver. Vou chamar a moça que autoriza.

(pensou eu: moça que autoriza? Deve ser um novo cargo que criaram. Qual a sua profissão? Sou a moça que autoriza!)

- Olá Sr. Danilo. Infelizmente não poderei autorizar, pois aqui consta que tem um boleto que está em débito.
- Sim. Eu mudei de endereço recentemente e não recebi em casa, logo esqueci de pagar. Mas eu tenho o dinheiro em casa. Se você me autorizar a ser atendido, logo que sair daqui eu vou pro banco e pago.
- Eu não posso autorizar sr.
- Como não? Você é a moça que autoriza! Se a moça que autoriza não pode autorizar quem é que pode? Você não é a moça que não autoriza. Você é a moça que autoriza. Me autorize por favor.
- Olha, vamos fazer o seguinte. Você vai pra casa, pega o dinheiro e volta aqui e marcamos uma consulta para amanhã pra você.
- Olha, vamos fazer outra coisa? Eu não vou pra casa e não gasto gasolina de novo, você não me faz ter que perder outro dia de trabalho, eu sou atendido, fico feliz, volto para casa e pago.
- Não posso fazer nada sr. O Sr. não pagou o boleto desse mês!
- Ok, eu já tentei, mas vou explicar de novo. Talvez me entenda melhor agora. Veja bem. Eu sei que não paguei, pois como disse aconteceram problemas particulares e esqueci de pagar. Porém eu tenho o dinheiro em casa. Pode puxar no sistema que você vai ver que em 2 anos eu nunca atrasei uma sequer. Não é possível que 1 mês atrasado tenha mais valor do que 2 anos em dia. Além do mais, o que acham que eu vou fazer? Que não vou pagar nunca mais? Acha que eu vou passar a perna em vocês? Acha que eu vou ser atendido hoje pela dentista e depois fugir para o Himalaia com o aparelho na boca? Eu só quero ser atendido. Só isso!
- Sei senhor. Porém não posso fazer nada.
- Porque não? Você é a moça que autoriza! Se você não autorizar serve pra que?
- Eu não posso.
- Olha, basta você dar um visto na autorização e pronto! Você pode, você consegue! Tenha boa vontade por favor!
- Eu não posso sr.
- Na verdade você não quer né, vamos abrir o jogo.
- Eu não posso sr.
- Então vamos fazer assim. Chame alguém que pode que eu converso com essa pessoa.
- Sr., minha gerente está muito ocupada e não vai poder recebê-lo.
- Então vamos fazer um trato? Eu vou ficar aqui de pé xingando você até ela poder me atender. Pode ser sua vaca do caralho?
- Você está faltando com o respeito.
- To sim, vai se fuder!
- Calma...
- Estou calmo, segura minha rola...
- Um minuto que vou chama-la seu grosso...
- Ah..agora ela pode me atender né.

(todo mundo olha pra mim como se eu fosse um desrespeitador. Porém ninguém vê o que realmente é a falta de respeito. Eu pelo menos prefiro mil vezes ser xingado por alguém do que pagar uma coisa e não poder usá-la).

Pois bem. Mandaram eu esperar. E eu esperei. Mas esperei de pé. Em frente o balcão da moça que autoriza. Olhando pra ela. Passado 15 minutos a gerente me atendeu.

- O que o sr. deseja.
- Eu só quero ser atendido.
- Pois bem. Eú já soube do seu caso.
- Então. A moça que autoriza não me autorizou. Poderia me autorizar por favor.
- Eu não vou poder, pois eu não posso fazer nada. Você está com um boleto atrasado. É norma da empresa.
- Ela já me disse isso. Mas eu pensei que você fosse mais importante do que uma norma. Ou não é?
- No momento não sou.
- Então o que eu faço.
- Vá pra casa buscar o dinheiro e nos pague que marcamos outra consulta.
- Eu moro longe. Não me faça perder outro dia de trabalho.
- Mas é sua mensalidade que paga o material que usam em seu atendimento. Se você não pagar não tem como.
- Eu só quero trocar as borrachinhas do meu aparelho. Você está dizendo que elas custam R$ 70,00?
- Eu não posso fazer nada.

Então eu tive aquilo que os meus amigos chamam de "momento Danilo".

- Bom, .então senhora, vamos fazer uma coisa: vocês não estão sendo legais comigo certo? Então eu também não vou ser legal. Pelo contrário. Eu vou ser chato pra caralho! Vou ficar sentado aqui e só sair se me atenderem.
- Você não pode ficar aqui.
- Claro que posso. Vocês me convidaram pra entrar aqui!
- Mas aqui é a gerência.
- Grande bosta. Se fosse a presidência eu até pensava. Mas gerencia? Você é a gerente? Devia se vestir melhor para gerente.
- Olha, por favor se retire.
- Não tô afim não.
- Assim você não vai resolver nada.
- E nem você. Você nunca resolve nada. E além do mais eu não to afim de resolver nada mesmo. Eu estou afim de chatear.

Então eu comecei a fazer comentarios idiotas a respeito de todos que estavam na sala do tipo: -Essa aqui é tão gorda que pra achar o cú dela eu preciso de um mapa... ou então: -E essa moça que autoriza aqui? Usa sutiã com enchimentos. Acha que tá enganando quem? Assuma suas azeitonas.

- Você está sendo infantil
- Sim. Eu estou afim de ser infantil também. Porque só vocês podem me chatear? Eu também quero chatear um pouquinho poxa.

O gordo que estava na mesa do lado me ameaçou:

- Olha é melhor tomar cuidado com o que você diz.
- Porque? Você vai me dar uma barrigada?
- Eu vou chamar a segurança.
- E o que a segurança vai fazer? Eles não podem me relar a mão. Eles não são da polícia...ou são?
- É... então nesse caso eu vou chamar a polícia...
- E o que vocês vão dizer pra polícia?
- Que você está sendo inconveniente
- E é crime ser inconveniente?
- Eu vou cancelar o plano.
- Mas você não pode cancelar o plano, porque está no nome da minha mãe. Não pode cancelar sem minha mãe aqui pra assinar.
- Eu dou um jeito.
- Ah... então você não consegue burlar uma norma da empresa pra me ajudar, mas consegue burlar uma norma da empresa pra me fuder. Quer saber. Pega a quebra do contrato, imprimi, eu assino, você assina, depois eu enrolo e enfio no meio do seu cú... e no cú desse gordo intrometido também.

E aí começou a baixaria. Até que chamaram a segurança. A situação foi se agravando. E vou resumir tudo. Das 14h30 as 16h30 eu fiquei xingando todos.

Tudo que eu queria era ser atendido.

Liguei pra minha mãe e ela levou o dinheiro. Agora era uma questão de honra pra mim ser atendido naquele dia. Minha mãe chegou. com a grana e ia entrando na sala eu disse:

- Não mãe. Não entra! Vão chamar a polícia.
- Entre senhora!
- Ela pode eu não posso!
- Senhora, seu filho estava aqui descontrolado nos ofendendo.
- Além de gorda é fofoqueira!

E por ai foi a baixaria até que disseram que iam me atender.

- Mas se eu não for atendido nesse exato momento, eu volto aqui, e começo a chatear de novo, ok? Pois estava marcado a consulta para as 14h00 e 13h30 eu estava aqui.
- Olha...o próximo paciente vai ser você...
- Ok...

Fui lá..fui atendido. E sai com minhas borrachinhas novas. Mas não resisti e tive que voltar lá.

- O menina que autoriza, gerente gorda e pança ameaçadora. Estão vendo? Fui atendido!

E fui embora e foi isso...

Eu queria ser legal... mas me obrigaram a ser chato. E eu adoro ser chato.



Lugar de Lixo é no Lixo (Dez/2003)

Eu estagiava no Depto. de Marketing de um Shopping. Não querendo me gabar, mas meu trabalho era muito elogiado por lá. Todos gostavam muito das minhas criações. Minha gerente então prometeu que eu seria efetivado, pois segundo o Depto., meu serviço era essencial e blá blá.

Foi aí que o jogo começou a virar. As coordenadoras, que até então se davam bem comigo, começaram a colocar no meu. Mandavam eu fazer serviço de auxiliar de ajudante de servente de pedreiro. Eu não tenho nada contra essa profissão. Mas minhas costas começou a doer de tanto carregar peso. E eu cometi meu erro fatal: Eu disse uma palavra que é proibida no mundo dos estagiários. Eu disse NÃO!

Aí tudo foi água abaixo. E em menos de 1 semana eu estava na rua. Sem mais nem menos. A gerente me chamou, chorou e me mandou embora. Eu ia sair de boa, mas escutei certo comentarinho que despertou em mim o desejo de fazer alguma coisa ruim:

- Hunf..tomara que o próximo estagiário não seja lixão como o Danilo...

Pensei eu com meus botões despedidos: -Oras...se eu sou lixo, tudo que fiz é lixo... e lugar de lixo é no lixo...

Fui na sala da gerente e pedi autorização para pegar alguns arquivos pessoais que estavam no micro. Sentei na minha mesa, liguei o PC, e apaguei trabalho por trabalho que eu fiz. Um por um. Sem pressa. Trabalho de um ano inteiro. Depois gravei arquivos brancos por cima, para que backups ficassem em brancos. E fui embora.

Na hora do almoço meu telefone tocou. Era do Shopping, a gerente do RH, (ninguém do Depto. de Marketing queria falar comigo):

- Danilo.
- Eu mesmo.
- E aí..acho que aconteceu um acidente... você foi pegar seus arquivos no computador e sem querer apagou eles não foi isso?
- Não, não. Eu apaguei por querer mesmo.
- Foi um acidente?
- Não, não, foi por querer mesmo...
- Mas por que você fez isso?
- Só se manda alguém embora se o trabalho dessa pessoa não é bom. Como eu fui mandado embora, pensei que meu trabalho não era bom. Então apaguei. Fiz um favor pra vocês.
- Mas você não pode fazer isso. Esse trabalho era do shopping. Nós pagamos você pra fazer ele.
- Exatamente. É como o telefone. Eu pago todo mês. Quando eu deixo de pagar eles cortam o serviço. Eu fiz o mesmo. Se vocês não pagam mais o Danilo, não vão ter o serviço do Danilo.
- Você gravou os dados que apagou pra você?
- Sim. Todos eles. Estão aqui comigo em CD.
- Olha, o servidor conseguiu recuperar tudo que você apagou.
- Que maravilha!
- Mas daria pra você entregar uma cópia desse CD pra gente?
- Pra quê? Vocês não recuperaram tudo?
- Sim, mas é que isso iria agilizar alguns procedimentos.
- Ah..eu não to afim de agilizar nada sabe.
- Nós vamos consultar um advogado. Porque você era funcionário daqui...e isso é crime...
- Eu era estagiário..tanto é que meu contrato reza que eu estava aí para aprender não para fazer serviço... Sem contar que como estagiário eu não tinha vínculo empregatício nenhum aí com o Shopping... Eu teria semana que vem..mas mandaram embora antes... então vê aí com o advogado e depois me liga.
- Você é muito infantil.
- Posso ser... mas fui um infatil que fudeu legal. Porque só vocês tem o direito de me fuder? Porque eu não posso fuder vocês um pouquinho que seja também? Que egoísmo é esse agora?

Bom...resumindo a história, até hoje eu não entreguei o CD. E fico feliz, porque quando visito o shopping, vejo que, a qualidade das peças de comunicação e marketing decaíram muito. Pra falar a verdade, estão um verdadeiro lixão.



O bilhete da discórdia (Fev/2003)

Era uma sexta-feira. Estava de saco cheio de trabalhar. Quem mora no Grande ABC e depende do troléibus para transporte sabe como é precário essa merda. Saí do meu serviço por volta das 18h00 e peguei o tal troléibus. Enfiei o bilhete na catraca e foi rejeitado. Enfiei de novo e mais uma vez rejeitado. Então disse ao motorista:

- Olha...o bilhete não está funcionando.
- Então desce.
- Não..eu paguei pelo bilhete o preço que sua empresa pediu. Nem 1 centavo a menos. Senão funciona, o azar é de vocês, daqui não desço.
- Se você descer não saio com o troléibus.
- Porque não? Você por acaso ganha por comissão, senhor?
- Senhor o caramba.
- Então nesse caso, já que você não é senhor vou lhe dizer uma coisa, seu filho de uma puta, chifrudo e corno do caralho, se eu fosse ladrão entrava de graça nessa porra, roubava todo mundo e você ficava com o cú na mão e não falava nada, mas como eu estou voltando cansado de um trabalho de merda você quer bancar o machão comigo e vai tomar no meio do séu cú!

Então começou toda uma série de baixarias, onde tive a oportunidade de expor a um troléibus lotado todo meu repertório de palavrões, e ainda criar mais alguns.

Com o troléibus parado no meio da avenida, o motorista se levantou e ameaçou me agredir, e eu xingava mais ainda, pedindo para ser agredido mesmo, essa coisa toda de briga. Depois de quase uns 5 minutos de baixaria, o motorista, viu que eu não ia descer mesmo e disse para os passageiros:

- Se vocês não expulsarem esse filho da puta daqui, eu não saio com o troléibus.

Retruquei:

- Vocês vão ficar do lado dele mesmo? Vocês pegam essa merda lotado todo dia pra ir trabalhar, andam amassado pior que gado sendo transportado, tem salário descontado do holerith por causa dessa bosta que só atrasa e vão dar ouvido pra esse filho da puta? Vão tomar no cú todos vocês!

Aí um cidadão que estava no meio do troléibus veio até mim e me deu um bilhete. Peguei o bilhete, passei na catraca e disse:

- Pronto...agora estou com o bilhete certo...pode andar.

O motorista, sem resposta, sentou no banco, começou a dirigir e resmungar:

- Esse cara foi um idiota de ter dado bilhete pra esse filho da puta.
- Tá falando ainda seu..corno, vai tomar no seu cú....

E por aí foi um bate boca, até que um passageiro muito dos filho da puta disse:

- Motorista, para o troléibus que agora eu vou expulsar esse filho da puta daí.

Eu olhei pra trás e disse:

- Pode vir, eu adoraria ver isso. Eu só quero ir pra casa e nada mais, mas eu juro, se você relar um só dedo em mim você está fudido.
- Opa..não vou relar a mão em ninguém...vou pedir licença.
- Tudo bem..então nesse caso pode passar.

Ele ficou puto e saiu resmungando e sumiu no meio do povo, dentro do troléibus....não o vi mais até então. O motorista vendo que não consegui ser expulso e estava indo pra casa no troléibus dele parou o troléibus novamente no meio da avenida e disse e disse:

- Eu não vou mais andar com você...vou chamar a polícia...

A multidão, que até então estava contra mim, xingou o motorista se voltando contra ele (o povo é volátil, não?). Mas isso não adiantou, o motorista pegou o celular e só ouvi ele dizer:

- Alô...tem um cara falando palavrão aqui no troléibus...sim..eu sei que falar palavrão não é crime...mas tem mulher aqui poxa!

E desligou o celular, saiu do troléibus e ficou na calçada me xingando. Eu nem aí, como se não tivesse acontecendo nada. Foi quando para meu azar, passou uma viatura, e o motorista acenou pra ela. Desceu 4 policiais com a arma na mão, e foi ouvir o motorista que deve ter falado os diabos de mim. Quando a polícia chegou perto do troléibus com as armas na mão, a multidão começou a dizer:

- O rapaz está quieto, o motorista que é maluco.

Aí os policiais guardaram as armas e perguntou quem era o tal portador do "bilhete da discórdia". Eu levantei a mão e eles pediram pra eu descer. Assim que eu desci (pois queria ficar lado a lado com o motorista falando com os policiais) o motorista subiu no troleibus correndo, riu da minha cara e saiu com ele.

Fiquei puto com aquilo, mas me controlei, pois sei que vou pegar o tróleibus de novo com motorista. O policial foi gentil comigo, e perguntando pra onde eu ia, parou o troléibus de trás e mandou o motorista abrir a porta para que eu subisse e seguisse meu caminho, afinal...eu só queria ir pra casa.

Então encontrei uma moça que trabalhava no mesmo shopping que eu:

- Ai...só você mesmo pra subir escoltado por policia no busão.

Contei a ela tudo que havia acontecido...demos risada e ela desceu em seu ponto. Então a história do bilhete da discórdia chegou ao fim certo?

NÃO! ! !

Pois assim que ela desceu eu foi até a porta que é onde gosto de ficar... Ao olhar para o meu lado, adivinha que estava me encarando e eu não tinha percebido? O filho da puta do cidadão que disse que ia me expulsar do outro troléibus e depois não expulsou merda nenhuma. Fiquei puto ao ve-lo me encarando. Cheguei bem do lado dele, e disse:

- Vou falar baixinho, pra você não dizer que sou baixaria: Você quer uma foto minha, é alfaiate e vai me fazer um terno ou é um viado e quer me dar o cú?.
- Foto só se for pro seu caixão.
- Seu salário de peão não cobre a renda e precisa trabalhar no serviço funerário pra compensar?
- Não..é que não gosto de viado mesmo.
- Então o caixão é pra você? vai se matar?

Aí começou a baixaria de novo, não controlava mais minha voz e começamos a gritar.

- Você não tem nem tamanho pra falar comigo
- Mas meu pau é grande..
- Então dobra pra trás e enfiar no toba.

E por aí foi...até que a porta abriu e empurrou ele. Eu comecei a rir na cara dele e disse.

- Ai seu cuzão..até a porta te derruba.
- Mas você não me derruba.
- Seu filho de uma puta...vai tomar no cu..eu só quero ir pra casa..você disse que ia me expulsar do troléibus e to esperando ate agora...você é um puta de um chifrudo...eu vou ficar aqui do seu lado...e juro..se você olhar pra mim de novo eu vou socar a mão na sua cara...
O troléibus andou até meu ponto e eu fui do lado dele. Ele não olhou pra mim. Quando cheguei no meu ponto, desci. Quando estava na calçada, o filho da puta me diz:
- É um cuzão mesmo.

Fiquei puto com tamanha covardia e chamei ele pra descer...mas o troléibus foi embora...

E acabou tudo nisso...mas a qualquer momento pode rolar aqui a segunda parte da história, pois como sempre pego troléibus naquele horário, certamente cruzarei o motorista e o passageiro machão.... e não vejo a hora de fazer isso...pois como nessa meda de país não há lei que defenda um consumidor que paga por um bilhete zuado, vou ter que apelar pra baixaria mesmo.



Carnaval, Dureza e Pedágio na Faixa (Fev/2002)

Carnaval de 2002. Eu puto porque estava sem dinheiro, sem mulher, enfim, sem nada. Juntei uma rapaziada e descemos pobres e loucos. Fomos pra merda do litoral sul.

De dia na Praia Grande...de noite em Mongaguá.

Lá pelas 3 da manhã, com fome, com sono, sem grana, sem mulher e com o cú salgado (pois não tinhámos lugar pra tomar banho), ficamos todos putos da vida lamentando nossas vidas miseráveis sentados na guia.

Foi quando tudo parecia melhorar, afinal, uma mina bem gatinha estava olhando pra mim. Ela me chamou pra perto dela...eu fui todo feliz... Quando cheguei bem perto da galinha ela pegou um spray que tinha escondido e me sujou todo com ele...depois saiu cascando.

Todo mundo riu de mim...

Já puto da vida resolvemos entrar no carro e pegar estrada. Tinha acabado de me limpar e sentado no banco do carro com as pernas pra rua estava colocando o tenis pra dirigr. Foi quando ouvi um voz feminina dizer "Psiu". Olhei pra cima. Uma gostosa dentro de uma Blazer que passava, pegou um spray e me sujou todinho novamente.

Eu puto da vida fiquei de pé no meio da rua fazendo gestos obscenos mas isso não adiantou, pois já tinha sido humilhado mesmo!

Entrei no carro, peguei estrada e ao chegar no pedágio eu disse:

- Foda-se..não pagarei...

Colei na traseira do carro da frente e assim que a cancela abriu pra ele acelerei e sumi na serra. Eram 2h00 da manhã.

As 4 pessoas que estavam no carro ficaram putas comigo....

Depois de 5 minutos vimos as cirenes nos perseguindo. Apaguei o carro...

O Ed (um vizinho meu..menor de idade...que até então se denominava “Edão”), em meio aos muitos xingos que eu estava recebendo, engolindo o chôro, começou a retrucar:

- Poxa...eu sou de menor..
- E daí?
- E daí que vão ligar pra minha mãe...
- E daí..
- E daí que minha mãe vai acordar meu pai...e ele vai me matar cara...puta merda..os guardas vão me prender..e levar pra febem....
- É mesmo..você tá fudido Ed...
- Não fala isso não... Quer saber....todo mundo na rua me chama de Edão...eu vou dizer uma coisa... eu não sou Edão não..

Foi quando ele começou a chorar:

- Eu não sou Edão não... sou é um cusão! Isso que eu sou... não sou Edão não.. sou um cusão cara...puta merda... para esse carro..vamos nos entregar...

Eu dei graças aos céus pelo Ed ter dito essas palavras...pois nesse momento pararam de me xingar e começaram a rir da cara dele...

Fugimos apagamos em plena serra até chegar no rancho da pamonha. Escondi meu carro atrás do rancho. o Ed estava enrolando em um cobertor velho... afirmando a todo momento que não era o Edão..que era um cusão mesmo...

Tínhamos em mente ficar ali até amanhecer, afinal, de manhã já teria vários gols como o meu, e seríamos só mais um na multidão, dificultando assim a nossa identificação em algum posto da polícia rodoviária. Saímos do carro e entramos no posto. O Ed enrolado no cobertor.

Sentamos na mesa...e a fome veio.

Só tínhamos dinheiro para 2 pães de queijo. O Ed morrendo de fome... com a mão trêmula pegou sua parte do pão de queijo. Foi quando, meu amigo Rogério olhou pela janela e fez cara de desesperado. O Ed largou o pão de queijo. E voltou a afirmar que era um cusão. Claro, estávamos nos divertindo muito a essas alturas Menos o assustado Ed. Foi quando consegui convencer o Ed a comer um pouco:

- Come Ed...
- Não cara... vão me levar pra febem...vocês são de maior..eles vão dar uma surra em vocês e depois liberar..mas eu não... vão me levar pra febem..
- Olha Ed..come aí... por favor..vai se sentir melhor...
- É... mesmo..vou comer...

Ele então pega o pão e leva pra boca...quando vai morder eu digo:

- Come mesmo porque lá na Febem não tem pão de queijo não...
A choradeira começou de novo...
- É mesmo..vão comer você lá Ed...

Depois de quase uma hora , a polícia apareceu. Com certeza procurando certo gol prateado (que estava bem escondido num matagal atrás do rancho da pamonha). Uma policial feminina que estava na viatura entrou no banheiro enquanto o outro estava checando o outro lado.
Corremos até o carro, aceleramos e sumimos. Pegamos umas estradas alternativas com a finalidade de não encontrar nenhum posto de polícia.

Resumindo: Chegamos em casa na quarta-feira de cinzas, quase 8 da manhã. A tripulação do carro correu pra quadra ver a apuração dos votos do desfile de carnaval, pois a Gaviões foi campeã de novo! Eu como odeio carnaval fiquei em casa de onde não devia ter saído.
Mas a viagem não foi em vão. Pelo menos nosso amigo Ed ganhou um novo apelido na rua. Acho que você já imagina qual é.



Manchete na Band (Jan/2001)

Era domingo. poucos dias depois do Parmeiras perder o mundial pro Manchester. Santo André ia jogar contra o Ituano. Eu e meu amigo Rogério fomos ver o jogo. Ele com a camiseta do Manchester e eu com a do Timão. Chegamos atrasados e como estava lotado ficamos de pé no início da arquibancada. Todo mundo começou a nos agredir verbalmente.

- Sentem aí..
- Aí seus fdps..querem ver o jogo de sentadinhos vejam na casa de vocês
- Cacete..senta aí porra!
- Vão se fuder....querem ver o jogo sentados assistam no sofá de casa, assistam o jogo sentado aqui ó....

A arquibancada muito das furiosas começaram a nos tacar amendoíns, copos, chinelas e outras coisas. Entre o bando de filhos das putas estavam um velho barrigudo e um tonto de óculos que se dizia da polícia civil. Então revidamos as coisas que nos tacaram e no momento que estavam começando um empurra-empurra apareceu do nada 3 amigos gaviões. Eles viram o tumulto lá de cima e foram nos socorrer.

Após apaziguado tudo, resolvemos subir para ver o jogo lá de cima. Estava tudo indo bem, quando, um tiozinho passou vendendo água. Meu amigo Rogério pegou um dos copos do isopor e tacou bem na cabeça do tal véio. Seu filho (suposto polícia civil) subiu, abriu-se o clarão na arquibancada e começou a baixaria. Foi porrada pra todo lado. Voadora, soco, pontapés. Até o famoso golpe da égua voadora rolou.

A única coisa que eu fiz durante a briga foi tomar uma no meio da cara e nada mais. Meu óculos voaram longe. Enquanto o coro comia eu estava agachado tateando o chão procurando meus óculos (igual a Velma do Scooby Doo faz).

Foi porrada pra todo lado. A polícia apareceu, e juro, bem na hora encontrei os óculos. Aproveitando que estava agachando, coloquei meu óculos pisado e sai agachado mesmo, sumindo na multidão.

Eu e meu amigo juramos guardar segredo do que aconteceu, afinal, que vergonha protagonizar uma merda daquelas em pleno jogo de segunda divisão. No outro dia me ligam no serviço na hora do almoço:

- Danilo, estou vendo você na Bandeirantes mano. Você e o Rogério no meio do clarão da arquibancada. Vocês que começaram tudo né...

Não deu pra guardar segredo.


Uma piada para Faculdade (Mai/2000)

Era a "Semana da Comunicação" e estavam reunidos no auditório da facul todas as salas de comunicação da Universidade. A palestra que estava sendo ministirada era sobre "humor no rádio" e quem estava falando era o Japa do programa "Pânico" da jovem pan. (hoje ele tem até programa na TV e tal. Ele é o repórter sem graça Carlos Caramujo).

Ao terminar a palestra ele disse:

- Bom... agora eu tenho um kit com camiseta e cd e blá blá para quem vier aqui e contar uma piada.

Ninguém se levantou. Ele insistiu. Ninguém ainda. Insistiu novamente. Mais uma vez ninguém. Foi quando ao insistir novamente eu me levantei (estava na última fileira do auditório). Todos me aplaudiram (afinal, fui o único corajoso a aceitar o desafio de contar uma piada na frente do auditório lotado).

Debaixo de muitos aplausos eu desci vagarosamente pelo auditório até chegar ao tablado. O Japa estendeu sua mão com microfone pra eu pegar, eu passei reto, abri a saída de emergência e fui embora. O Auditório ficou mudo. E eu fui embora mesmo.

Quer saber? Piada é o caralho!



Apedrejem o Herege! (Nov/2000)

Era um show evangélico chamado SOS da Vida. Foi em novembro de 2000. Estavam cobrando a abusiva taxa de R$ 15,00 para entrada.Ora, todo pedido de socorro (ou seja, SOS) deve ser gratuito, não acham?

Por esse motivo achei que seria uma boa idéia fazer um protesto. Então, com meu amigo Rogério pintei a faixa de 7x2m, e com meus amigos Flávio e Wesley, fomos para o show com a faixa, onde se lia em letras garrafais "$O$ da vida? (as almas pagam para ser evangelizadas)".

Mal sabia eu que tal ato tomaria proporções gigantescas, a ponto de, o então condutor do espetáculo, líder da Renascer, o todo-poderoso Estevan Hernandes aleluia salve salve, fosse apelar pra baixaria..... Logo no início do show ele disse:

-Vamos lá...levantem suas faixas agora...quero ver as caravanas com as faixas levantadas!.
- Olhá lá...ele está mandando levantar a faixa!.

Então levantamos.... Hesterco Hernandes disse lá do palco para as milhares de pessoa:

- Olhá lá..olha lá aquela faixa que enorme (era a nossa..hehe).
Todos se viraram para ler e ele começou a ler em voz alta:
- Olha lá...SOS da vid..." (lendo em voz baixa com cara de cú nessa hora).
Após perceber bem qual era a mensagem da faxia, com cara de ira (cadê a mansidão pastô?) gritava:
- Abaixem a faixa...

Não abaixamos. Ele insistiu

- Abaixem a faixa...vocês que estão perto rasguem a faixa, expulsem eles daqui...apedrejem.

Depois disso foi só baixaria e pedradas. Sim..pedradas. O local do show era cheio de pedrinhas...de estacionamento sabe. Os seguranças me levaram pra trás do palco. O coro comeu solto. Depois de duas horas de discussão (eu juro..sempre deixava eles sem respostas), me liberaram...

Todo esse episódio foi gravado por um amigo meu que estava em casa no dia, pois o show passou ao vivo na televisão e meu apedrejamento também....



Lincha Eu! (Jul/2003)

Essa talvez tenha sido a coisa mais idiota que já fiz na minha vida.

Eu e meu amigo Rodrigo (já postei sobre ele
aqui) resolvermos ir na bosta da danceteria na matinê pra ver como era e ver se catávamos minas, porque éramos (ou somos) as pessoas mais cabaças desse mundo.

A matinê foi uma bosta e não catamos ninguém.

Na saída fui pra casa do meu amigo, em um bairro vizinho do meu. Chegamos na casa e o vô dele disse que só ia pegar as chaves e me levar pra casa.

Eu fiquei na calçada esperando, enquanto meu amigo entrou para mijar.

Passou um moleque forgado de uns 8 anos de idade com sua mãe gorda e velha e ficou me encarando. Por pura idiotice minha eu fui lá e dei um chute no moleque na frente da mãe dele:

- Buáaaaa...

A mãe dele disse:

-Vai lá na rua Jundiaí chamar seu pai no bar e os amigos dele pra dar uma lição nesse filho da puta (que no caso era eu).

Como o vô do meu amigo só ia pegar as chaves e me levar pra casa eu disse:

- Foda-se...chama lá..quando chegarem não estarei mais aqui.

O moleque saiu correndo pra chamar os maloca da tal rua Jundiaí que nem sabia onde ficava. O moleque acabou de sair correndo meu amigo Rodrigo sai pra fora e diz pra mim:

- Meu vó mandou esperar 10 minutos que ele só vai jantar e depois te leva.
- Rodrigo, onde fica a rua Jundiaí?
- É a rua de trás da minha casa...onde mora uns maloca...

Passados menos de dois segundos, dobrou a esquina um arrastão de maloca de todo tipo , cor e tamanho. Eles tinham taco de sinuca na mão, bola de sinuca, garrafa e até corrente. Tinha mais de 15 pessoas. A sim..o molequinho chorão estava na frente do bando apontando pra mim.

- Rodrigo...vou no banheiro

Entrei correndo. Corri até o último cômodo da casa...e depois até o fundo do quintal tentando achar um muro pra pular pra rua de trás. Rodrigo sem entender nada ficou lá fora. Foi quando o bando começou a tacar pedra na casa e até mesmo a invandir o local, dizendo que iam me matar.
Eu fui pra debaixo da cama. E ficava fazendo promessas dizendo que se saísse dessa ia na missa no outro dia.

O vó do meu amigo saiu pra ver o que era, e eles queriam bater no vó dele também.

Rodrigo desesperado teve a brilhante idéia de pegar uma espingarda de chumbinho descarregada com o cabo quebrado Ele correu, pegou a espingarda que não funciona e foi até o meio da rua chorando:

- Quem vai matar meu vô? Hein? Quem vai matar meu vô?
- Rodrigo..meu neto..guarda isso..essa espingarda nem funciona...

Depois de mais de 20 minutos de conversa o vô do Rodrigo acalmou os malocas. Mesmo assim eles me juraram de morte. Eu fui pra casa e nunca mais na minha vida chutei moleque nenhum de 8 anos. Ainda mais sem motivo. A sim..eles nao cumpriram o juramento deles e estou vivo até o momento.


Po-po-por enquanto é só Pe-pe-pessoal....

Tem mais momentos Danilo...se um dia tiver saco eu conto...

14 Comments:

Blogger gustavo said...

Ahahahaha. Caralho. Tu é um marginal.

6 de novembro de 2004 13:01  
Anonymous Anônimo said...

HUHAUHAUHAHU
meu
serio
tu e doente

2 de maio de 2007 22:23  
Blogger joão said...

Caraca! Muito bom! Tu é sinistro cara!
ahuahauhaua

10 de maio de 2007 08:41  
Blogger Ligia said...

Danilooo
Meu Deussss, que medo de vc criatura!!!!!
kkkkkkkkkkk

17 de julho de 2007 20:18  
Blogger Vitor said...

Finalmente encontrei alguém igual a mim!!!!
Bem...
Algumas coisas que você faz eu fico só no pensamento...

10 de agosto de 2007 19:12  
Anonymous LEO said...

pqp!! vou mandar esse blog pra minha lista!!!

10 de agosto de 2007 22:46  
Anonymous Anônimo said...

hahaahahahahahahaahahhahaa!!!


vc é um herói..mano....kkkkk

11 de agosto de 2007 12:25  
Blogger marli said...

o que mais odeio nas pessoas, e que é uma caracteristica do povo brasileiro, é a covardia. Aqui o povo tem medo de reclamar, discutir e aceita tudo como um corderinho,fui criada por um pai italiano que me ensinou, graças a deus, a não aceitar desaforo de FDP nenhum. Em algumas situações que vc relatou foi protagonista tb, o engraçado que qdo vc está discutindo e reclamando de um atendimento de merda coberto de razão, as pessoas em volta que tb estão sendo tratados como merda, ficam do lado do FDP que trata a todos como merda, por exemplo, uma vez reclamei com o motorista de onibus e disse se ele achava que estava dirigindo um caminhão cheio de gado com a mãe e a mulher dele dentro, pois qdo eu estava na fila para entra naquela merda ele soltou o breque e começou a acelerar, gritei: - tá com pressa pq? e toda vez que ele brecava bruscamente, as pessoas que estavam no onibus lotado caiam uma sobre os outras, estas pessoas reclamavam baixinho (típica atitude de brasileiro), qdo comecei uma briga interminável com o FDP do motorista, os demais passageiros começaram a apoiar o FDP do motorista, daí virei p o onibus todo e disse: acho que me enganei, eu realmente entrei num caminhão de gado e burros que merecem ser tratados como tal. Fico feliz em saber que existem pessoas como vc, se nós brigassemos mais seríamos muito mais respeitados, e então não precisaríamos brigar. abraços

23 de agosto de 2007 20:16  
Blogger Ludmila said...

Inacreditavel como vc consegui sair desses rolos!
uahsuhashuhssh
^^'

16 de setembro de 2008 16:09  
Blogger Everton said...

A violência às vezes é tido como um ato inteligente e o amor como uma coisa mais temperamental, quase romântica, acho que violência só gera violência...

Mas tirando isso eu chorei de rir com as tuas histórias, e GENIAL a "piada" da saida de emergência, caramba, isso devia ter sido filmado, que cena linda, e aquele japa é um bosta mesmo.

Foi na uni-abc? a faculdade que vc tanto ama? ahahah

30 de setembro de 2008 00:23  
Blogger Polyanna said...

Eu me divirto tanto com seus post, vc é genial!!!

7 de abril de 2009 22:45  
Blogger joyce said...

Danilo, tu é meu herói cara, sério! seu doente..

2 de outubro de 2010 15:18  
Blogger Egna Cardoso said...

Bem, eu preciso dizer o quanto eu adoro esse blog. E o quanto eu adoro as histórias, e casos, e opiniões que existem nele. Por isso, estou eu aqui, no ano de 2013, escrevendo nele. Eu gostaria de ter feito este comentário, no primeiro ano em que esse blog foi criado. Mas infelizmente, "conheci" o Danilo, e seu trabalho, um pouco tarde demais.... Mais precisamente no mês de Junho de 2012. Mais precisamente ainda, no ano passado.... A primeira vez que vi o Agora É Tarde, e o Danilo Gentili, foi em uma noite de quinta feira. E naquela noite, eu não sei porque liguei a TV... Eu já não via TV há muito tempo. E por esse motivo, não pude acompanhar o trabalho do Danilo Gentili no CQC. Uma vez que eu nem sabia direito da existência do programa, por não ver TV.... Mas enfim, estava eu, naquela noite de quinta feira, e eu só lembro que era quinta feira, porque eu peguei o programa, bem na parte da Mesa Vermelha. Eu estava mudando de canal, quando vejo um bando de malucos, sentados em volta de uma mesa, falando merda pra caramba. E Eu ri muito de tudo o que foi dito ali. O que me faz lembrar que, na época, eu não gostava de humor Stand Up. Achava chato pra caralho. Meu irmão costumava assistir aqueles concursoso de humoristas nos programas de domingo, e só tinha cara sem graça! Só tinha cara tonto! Vai ver, eu estava procurando puta no puteiro errado. Ou pegando drogra com o traficante errado. Ou vendo alguém fazer Stand Up do jeito errado, mesmo... Enfim... Foi nessa quinta feira que eu conheci o Danilo Gentili, apesar de ainda não saber o seu nome. MAS, como a internet está aí para nos servir, resolvi pesquisar mais sobre aquele programa de malucos. E aí descobri que o nome do programa era Agora É Tarde. E que era apresentado por Danilo Gentili. E que o tal Danilo Gentili, já tinha sido Repórter do CQC. E que antes disso, fazia shows de Stand Up nos bares da vida. E que muito antes disso, tinha um blog chamado "Danilo Zero." O blog "Danilo Zero," foi o primeiro blog do Danilo que eu conheci. E eu sou apaixonada por tudo que tem naquele blog. Sério mesmo. Mais tarde, fui conhecer o "blog novo que um dia iria se tornar velho." E eu também gosto desse blog, só não mais que do "Danilo Zero." E depois, bem depois, é que fui conhecer blog "Politicamente Incorreto" que se não me engano, foi o primeiro blog do Danilo. E foi bom rever algumas histórias que eu já conhecia através do "Danilo Zero," e conhecer mais algumas histórias que eu ainda não conhecia. E eu preciso dizer que sou apaixonada por esse blog também. Mas voltando um pouquinho, lá no início, quando eu ainda estava conhecendo o Danilo Gentili, e todo o seu trabalho....

26 de agosto de 2013 04:17  
Blogger Egna Cardoso said...

CONTINUAÇÃO....
A primeira entrevista que eu vi do Danilo, foi uma que ele fez pro "Sonhar". Eu adorei a entrevista! Eu compartilho de muitas opiniões que ele deu naquela entrevista. E uma que me chamou muito a atenção, foi ele dizendo, que todo ator ou comediante, parecia ter uma divida com o Chico Anysio. E que todo mundo que vai parar na TV, parece ser obrigado a dizer que é fã do Chico anysio, que o Chico foi e será, o maior humorista/comediante do Brasil..... E o Danilo, apesar de reconhecer todo o trabalho do Chico Anysio, disse que não era fã, e que cresceu vendo os comediantes dos filmes que passavam na sessão da tarde, e que eram eles as suas referências. E eu achei aquilo admirável! Um cara realmente de opinião! Um cara que foi capaz de abir a minha mente. Um cara que foi capaz de me fazer pensar em vários pontos, de diversas coisas.... A partir daí, foi que eu comecei a pesquisar sobre o trabalho do Danilo no CQC. Vi todos os vídeos possíveis e existentes no Youtube. Alguns tão bons, que vi e revi várias vezes. E a cada sacada genial, a cada pergunta, ou frase "inconveniente" e sacana, seja para um político, ou algum famoso, ou qualquer um que cruzasse o seu caminho, mais a minha admiração por Danilo Gentili crescia. E cresceu tanto, que acabei virando fã. Fã do trabalho do Danilo Gentili. Fã do comediante Danilo Gentili. Fã do cartunista Danilo Gentili. Fã do Repórter Danilo Gentili. Fã do apresentador Danilo Gentili. E principalmente, fã do Danilo Gentili. Como eu disse, eu sou apaixonada pelo blog Danilo Zero. E lá, tem muitas histórias vividas pelo Danilo Gentili, carinhosamente chamado de Junior, pelos mais intimos. Pelos familiares e amigos de infância, e vizinhos da onde morava. Eu sou apaixonada pelo modo simples e tão completo de ser do Danilo Gentili. Alguém realmente inspirador. Sou apaixonada pela imagem que tenho do garoto, do rapaz que o Danilo Gentili era. Apesar de não o conhecer, e só conhecer as histórias escritas por ele em seu blog. As pessoas passam a admirá-lo quando conhecem todo o seu trabalho. E passam a adorá-lo quando conhecem um pouquinho de suas histórias, quando conhecem um pouquinho de quem ele é. Embora isso seja facilmente visível em suas opiniões, e atitudes. Já faz um ano que eu conheci esse cara, e ao conhecê-lo, acabei por conhecer várias outras coisas, e aprender muitas coisas também... E o que escrevi aqui, não é nem a metade de tudo aquilo que eu gostaria de expressar, e nem sei se expressei direito. Aliás, eu nem sei se alguém vai ler isso aqui algum dia. Primeiro que o comentário passou a ser texto. E segundo que, acho que nem o Próprio Danilo entra mais nesse blog. E, é, realmente eu tinha muitas outras coisas para dizer.... Mas no mais é só isso mesmo.

26 de agosto de 2013 04:18  

Postar um comentário

<< Home